O



Vulgo :
n substantivo masculino

a classe popular da sociedade; plebe, povo


República ou morte !

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Noite de um feriado ... ociedade me toma conta , escreverei um pouco sobre esse 15 de novembro.
Talvez uma data que se passe por despercebido pela maioria da população , talvez a maioria da população nem conheça Mareshal Deodoro .
Para mim uma data muito mais significativa do que o românticalizado 7 de setembro...
Para mim Deodoro é muito mais "herói" do que Dom Pedro...
Não sei ao certo o motivo dessa data cair no esquecimento , talvez pela própia romaticalização da independência , mas o fato é: as mudanças trazidas por essa data foram de longe superiores se comparadas às do mês retrasado.
Mas assim como o 7 de setembro sempre há bocas ousadas a dizer "Nada mudou" , pessímistas talvez , se rebaixam ... ou não sabem o que dizem.
Foi através da proclamação da república que a democracia Brasileira tomou forma , os votos diretos , o poder legislativo representando o povo , apesar de não estar funcionando , mas isso é questão para outras postagens , enfim... o fim do absolutismo e as babozeiras da nobreza... dando início uma caminhada de democratização que ainda está em rumo !

Enfim... para os politizados e sonhadores uma bela data a se inspirar...
para os leigos mais um feriado a descansar.


Seja um pálio de luz desdobrado
Sob a larga amplidão destes céus
Este canto rebel que o passado
Vem remir dos mais torpes labéus!
Seja um hino de glória que fale
De esperanças, de um novo porvir!
Com visões de triunfos embale
Quem por ele lutando surgir!
Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz!
Nós nem cremos que escravos outrora
Tenha havido em tão nobre País ...
Hoje o rubro lampejo da aurora
Acha irmãos, não tiranos hostis.
Somos todos iguais! Ao futuro
Saberemos, unidos, levar
Nosso augusto estandarte que, puro,
Brilha, ovante, da Pátria no altar!
Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz!
Se é mister que de peitos valentes
Haja sangue no nosso pendão,
Sangue vivo do herói Tiradentes
Batizou este audaz pavilhão!
Mensageiros de paz, paz queremos,
É de amor nossa força e poder,
Mas da guerra nos transes supremos
Heis de ver-nos lutar e vencer!
Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz!
Do Ipiranga é preciso que o brado
Seja um grito soberbo de fé!
O Brasil já surgiu libertado
Sobre as púrpuras régias de pé!
Eia, pois, brasileiros, avante!
Verdes louros colhamos louçãos!
Seja o nosso país triunfante,
Livre terra de livres irmãos!
Liberdade! Liberdade!
Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz!


2 comentários:

Rodrigo Carvalho disse...

Parabéns pela postagem da "Democracia enlatada". Muito bom o texto.

Abração!

Luiza disse...

É um hino otimista.. e talvez precisemos disso..
q vergonha eu ao menos não sei cantar!

15 d novmebro inicio da democracia, como vc disse é um caminho longo a ser percorrido, mas talvez a democracia nunca tenha existido de fato, já que ela ainda é muito nova e está corrompida.. mas isso convém para outras filosofias!

Liberdade!Liberdade! Abre as asas sobre nós!

nunca isso coube tão bem como nos dias de hoje..

 
by Templates para novo blogger