O



Vulgo :
n substantivo masculino

a classe popular da sociedade; plebe, povo


A crise ideológica.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

  Em meio a uma das maiores crises ja ocorridas no mundo , muitos diagnósticos são lançados todos os dias por economistas e entendidos da área ,  dizem que é uma crise econômica (uma meia-verdade ao meu ver , já que o capital não diminuiu -ainda- , nem a produção.) dizem que é uma crise especulativa ou ainda uma crise de falta de confiança já que o capital privado não se arrisca a fazer investimentos em períodos turbulentos , não que tais diagnósticos estejam incorretos , mas o que poucos , ou nínguem diz , é que acima de tudo é uma crise ideológica.

 O começo dessa crise não foi quando o subprime não conseguiu pagar as hipotecas ou quando os bancos financiadores não conseguiram pagar os demais bancos , dizem que o começo da crise tem sua causa graças ao crédito demasiadamente grande e a falta de fiscalização e regras mais rigidas no mercado , mas ao meu ver o começo da crise vem de muito tempo atrás . Uma das principais regras do capitalismo é que o capital tem que circular para gerar lucro , é isso que o mercado visa , a circulação do capital em forma de mercadoria , e para incentivar a compra uma ideologia pós guerra-fria é implantada na sociedade: o status e a felicidade capital , o consumismo.

  A compra e o consumo deixaram de ser usados quando necessários e passaram a ser a própia necessidade de sobrevivência , sua felicidade e seu status é medido pela quantidade de produtos que possue ou consome: "COMPRE COMPRE COMPRE !" esse é o lema da ideologia globalizada e consumista do século XXI , que foi martelada dentro da cabeça da população em forma de marketing e propagandas e passivamente aceita... tendo um amplo mercado alienadamente consumidor , o qual compra produtos muitas vezes fúteis e pelo mero prazer da compra , a produção aumentou , aumentando também o emprego e ascendendo a econômia capitalista.

  Porém a selvageria consumista fizeram a população , principalmente a camada mais baixa e de baixo potencial de compra, comprarem aquilo ao qual não tinham dinheiro para pagar ,que aliado com a ganância de capitalistas , que cederam créditos altíssimos , e ao governo liberalista que permitiu o uso de tal créditos geraram um quadro de "bolha" , o preço das hipotécas aumentava pois a procura era maior , o setor imobiliário faturava mais , os bancos faturavam mais , porém a classe baixa não faturou... a bolha explodiu: a dívida adquirida não foi paga ... os bancos deixaram de faturar e viraram devedores de outros bancos , o setor imobilíario deixou de faturar , os acionistas especuladores retiraram o dinheiro rapidamente , as ações perderam o valor , e criou-se um rombo gigantesco , que agora , jogando o neo-liberalismo de lado, o governo tenta cobrir com dinheiro público, comprando as ações as quais o capital privado rejeita .

  A ascensão econômica gerada pelo consumismo ficou concentrada nos bolsos de especuladores , a crise também gerada por ela foi cobrada da população , mesmo destino deverá tomar o dinheiro injetado pelo governo caso mudanças não sejam feitas , mudanças essas que espero que não sejam apenas econômicas , mas sim ideológicas , o consumismo que fez a felicidade de famílias tempos atrás hoje trás apenas a felicidade aos especuladores , deixando as camadas mais baixas individadas... está na hora de mudanças , o povo não pode mais se deixar iludir por falsas felicidades , a felicidade nunca poderá ser comprada ! além do fim do neo-liberalismo temos que decretar o fim do consumismo !


  

3 comentários:

Txatxismantiskiana disse...

Desde sempre, acreditei que o liberalismo econômico não funcionaria, estamos aí com um dos porquês do mal funcionamento dessas política econômica liberal.

A Divindade de Cristo, o Messias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Concordo plenamente. Acho o capitalismo, um sistema bom porém é necessário corrigir algumas falhas, como consumismo e especulações. Mas se acabar o consumismo, o captalismo quebra, O governo sujerido por Jesus Cristo foi um parecido com o socialismo, porém com algumas liberdades, ou algumas características do capitalismo.
Em meu ponto de vista "pessoal" acredito que um casamento entre os dois sistemas, resultaria em um governo mais justo, e sem corrupção, porque nivelando a sociedade, acabaria com a desigualdade social, e consequentemente a corrupção não teria mais sentido. E a corrupção vem sendo a grande crise ideologica do capitalismo.

Jefferson

 
by Templates para novo blogger