O



Vulgo :
n substantivo masculino

a classe popular da sociedade; plebe, povo


Democracia enlatada !

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

"Isso minha senhoria ! , pode se aproximar , é o carro da democracia enlatada passando bem em frente à sua casa ! venham conferir , democracia fresquinha para agradar toda a família !"

O tanque estadunidense M1A1 Abrams desvia de uma pilha de corpos , na sua maioria corpos de civis , anunciando sua oferta , o som emitido do auto-falante abafa o pranto duma velha que se desespera ao ver sua filha no mórbido monte , o cheiro de sangue empreguina o ar causando náuseas aos soldados-comerciantes.
Um estalo é ouvido no interior do tanque , uma pedra , lançada por um homem alto e magro , com a pele castigada pelo sol vestido com um turbante , logo após , outro estalo , mais outro e outro , uma multidão envolve o tanque , um dos vendedores abre a tampa do mesmo e dispara 3 tiros para o alto , a multidão se dispersa , a rua se torna deserta , assim como todo país.

"Barganhem ! Barganhem!" é a ordem que chega da Casa Branca , então as latas cinzentas com os dizeres "Democracy" estampados são distribuídas para a população , ou pelo menos é isto que consta no relatório em cima da mesa oficial , além dos dizeres havia um símbolo , aquele mesmo símbolos estampados nos tanques , o qual não se relacio
nava em nada com a história daquele povo, à medida que as latas chegavam, barris contendo um viscoso liquido preto era mandado para o exterior.

Da Casa Branca vinha outro aviso , "Levaremos essas latas para todos!" é o que dizia o porta-voz estadunidense , porém as latas não chegariam de graça , ficou decidido também que a exportação do produto não dependeria da demanda... então a lata se expandiu para todo as partes , a produção foi mecanizada e padronizada , e muitos povos passaram a experimentar o amargo gosto da democracia enlatada estadunidense , certa vez um rei da arábia comprou todas as latas para si e não dividiu com seu povo , mas isso pouco importava para a casa branca , pois havia recebido do mesmo o preço de todas a latas , e é isso que importava para eles...

O pranto da velha que perdera sua filha durou por mais 2 meses , pois perdera também seu marido , seus 2 irmãos e mais 1 filho, até que em uma tarde quente ouviu um grande estouro , então não ouviu mais nada , não sabia ao certo de onde viera aquela estouro , mas tão pouco importava a ela... já desgastada com dieta à base da democracia enlatada , a morte já lhe parecia uma benção...

Contrastando com a elegia do oriente

o ocidente festejava
a indústria de democracia nunca havia lucrado tanto !












2 comentários:

Jéssica disse...

parabéns pelo texto!
e cada dia mais a industra de enlatados vende, mais e mais e mais...
sem esquecer da globalização em conserva!

Anônimo disse...

A democracia como valor universal não existe e nem pode existir, pois temos que chegar em sua essência e ver a quem beneficia. Para a aristocracia grega da antiguidade existia a mais ampla “democracia”, porém, para os escravos (que eram a absoluta maioria), a democracia era somente uma palavra vazia. Na realidade a verdadeira e legitima Democracia ainda é uma grande utopia. As eleições em si não fazem uma democracia. A Democracia não é feita apenas de eleições mas também da possibilidade real da absoluta maioria da população participar da direção e gestão dos assuntos públicos e sociais. Não existe um modelo autêntico ou forma perfeita ou modelo exemplar de Democracia no mundo, e nem existe um modelo único que sirva para todas as regiões e todos os países. Cada povo busca construir a democracia de acordo com as suas realidades sociais, politicas e econômicas sempre objetivando assegurar a soberania e a independência nacional. É preciso pensar bem no que seja realmente uma verdadeira Democracia. Assim sendo a vontade da absoluta maioria do povo (e não de oportunistas, golpistas e tiranos) em mudar e defender um ideal que atenda a maior parte da população também pode constituir-se como um processo em forma de Democracia quando acontece de dezenas de milhões de pessoas chegarem a conclusão de que não se pode mas continuar a viver assim e desta forma escolhem o caminho da Revolução Social e de Libertação Nacional. Os Estados Unidos da América que se julgam os campeões de “Democracia” por exemplo não passam de uma grande Ditadura da Burguesia e do Capital Monopolista; ditadura essa que não permite nenhuma ameaça ao seu domínio que não pode ser contrariada e nem ter oposição, pois o capital e os interesses da burguesia em primeiro lugar e tem que ser defendida a qualquer custo. A “Democracia” para os EUA é quando mandam e ditam as regras, subjugam e submetem os povos a subserviência, mas quando os povos se levantam e tentam impor-se contra a vontade dos EUA então isso é “Ditadura”. A dita “Democracia” dos Estados Unidos da América não passa de uma grande fraude um engodo, uma farsa, um faz-de-conta apenas para dizer e enganar de que se trata da vontade da “maioria”. Toda ruidosa propaganda de “Democracia” nos Estados Unidos da América não é senão uma capa fina por traz do qual fica cada vez mais difícil de não esconder a Grande Ditadura da Burguesia e do Capital Monopolista. Nos EUA a “liberdade de expressão e manifestação” e o exercício dos direitos de expressão, associação e reunião, incluindo a participação em organizações não-governamentais e sindicatos permanecem até o instante desde que não fiquem afetando os interesses da burguesia e do capital monopolista. Os Imperialistas dos EUA que usam de estratégia as duas palavras consideradas chave “Liberdade e Democracia” usadas politicamente não passam de fachada apenas para enganar e dizer que a causa que “defendem” são tudo por esses dois ideais. Existem nos Estados Unidos apenas dois partidos grandes que se revezam e se perpetuam no poder a anos e representam e defendem os interesses do grande capital; e isso não significa dizer que o povo apenas deseja somente a existência desses dois partidos. O Partido “Democrata” e o “Republicano” que são dois partidos que enganam os eleitores a delegar a representantes da burguesia e do Grande Capital Monopolista o poder de decidir as leis a seu favor. O Partido “Democrata” e o “Republicano” que são partidos da burguesia, e um pelo outro é a mesma coisa e não acrescentam em nada, pois os dois simulam que fazem oposição um ao outro e são farinha do mesmo saco, é como trocar seis por meia dúzia, os dois contribuem sobremaneira para diminuir a influência de outros partidos e assim ajudam a manter o povo prisioneiros da Ideologia Burguesa. Os eleitores são enganados de forma eficaz ao pensarem que votando em um ou outro desses dois partidos haverá mudanças, mas nada muda o caráter opressor e imperialista da política nos EUA, e nada acontece, e basta que se observe na politica dos Estados Unidos da América quando ficam criando pretextos para dominar o mundo através da força bruta belicista, agressiva e terrorista. Os dois partidos ambos representantes das classes dominantes e cuja diferença não vai muito além do nome, os dois tem grande espaço nos meios de Comunicação Social e nas Agências de Publicidade e é exatamente essas que se encontram sob o domínio da classe dominante, que embora sendo menor é no entanto toda poderosa. Nesse esquema, a “democracia” é apenas um slogan usado pela burguesia para atingir seus objetivos, enganando a maioria dizendo que se trata de uma sociedade que em que todos tem “oportunidades” sem preconceito ou discriminações, ou seja tudo é uma maneira de enganar para defender os interesses do Capital. É bem verdade que nos EUA existem outros partidos mas que não tem a mínima chance de concorrer com esses dois, isso porque a Legislação dos EUA dificulta no máximo a participação de outros partidos nas eleições inventando inúmeros subterfúgios e obstáculos jurídicos entre eles por exemplo, a necessidade de recolherem muito milhares de assinaturas num prazo curto realizada em presença de testemunhas e registradas notoriamente a obtenção de Licenças para os coletores de Assinaturas,etc. E mesmo se os outros partidos conseguirem vencer todas as barreiras, as comissões eleitorais privam-nos frequentemente da possibilidade de participarem nas eleições sob o pretexto de as “assinaturas serem ilegíveis” ou outro qualquer pretexto inventado. Todas as nações devem encontrar sua própria forma de expressão, a conquistar sua própria liberdade e a desbravar seu próprio caminho. O povo é soberano para decidir seu próprio destino, o povo de cada país tem todo o direito de lutar pela sua Libertação Social e Nacional a escolherem o melhor caminho para o seu desenvolvimento. Alguns povos que realmente tentam tornar-se livres, soberanos e independentes e que buscam seguir o caminho na construção do desenvolvimento democrático conforme a realidade politica, econômica e social, e que para isso se recusam a ficar de “joelhos” nas “mãos” e submisso aos interesses estadunidenses e que também não queiram rezar na cartilha dos EUA; esses povos são perseguidos e seu governo rotulado de Ditadura. Os estadunidenses tentam de todas as formas se passarem como os Paladinos da “Liberdade e Democracia” e até usam isso como argumento para dizerem que são “defensores” desses dois ideais na justificativa quando invadem países soberanos que se negam a ficar de “joelhos” e sob seu controle e domínio absoluto. Os Imperialistas dos EUA invadem países objetivando dominar para extrair matérias-primas e demais riquezas. Para isso, endividam essas nações, compram seus políticos e seus governos fantoches. Os Imperialistas dos EUA que usam de maneira estratégica as duas palavras chave “Liberdade e Democracia”, mas quando um povo realmente deseja ser livre, independente e soberano e tenta construir o seu desenvolvimento conforme a realidade politica, econômica e social e que para isso venham a contrariar os interesses do Império dos Estados Unidos da América, a tão propalada “liberdade e Democracia” que os Imperialistas estadunidenses dizem tanto “defender” deixa logo de existir e vem desrespeito e violação dos direitos humanos, perseguições, golpes, torturas, massacres, repressões e guerras.

 
by Templates para novo blogger